Empresas   Contactos 


Perguntas Frequentes

Workshop Perguntas Frequentes
Perguntas Frequentes sobre Implementação Geral do PECS
Perguntas Frequentes sobre a Fase I
Perguntas Frequentes sobre Fase II
Perguntas Frequentes sobre a Fase III
Perguntas frequentes sobre a Fase IV
Perguntas Frequentes sobre a Fase V
Perguntas Frequentes sobre a Fase VI
Perguntas Frequentes sobre o Website
Outras Perguntas Frequentes

Workshop Perguntas Frequentes

Que tipo de cursos/ workshops oferecem?
Nós oferecemos uma variedade de workshops relacionados com o Picture Exchange Communication System (PECS, Sistema de Comunicação por Troca de Imagens) e a Abordagem da Pyramid à Educação. Para além disso, estão disponíveis outros cursos relacionados com a educação de crianças com perturbações do desenvolvimento. Por favor, veja em baixo a lista completa de workshops disponíveis.
Cursos de PECS 

Curso Intensivo de Abordagem da Pyramid

Outras Sessões de Formação ou Desenvolvimento dos Profissionais

A Pyramid oferece diversas apresentações gerais e/ou formações, desde conversas de 1 hora a formações de um dia inteiro. Por favor, contacte o nosso representante para conceber a formação mais ajustada às necessidades dos seus profissionais.
Estão disponíveis Apresentações Gerais e Formações sobre os tópicos seguintes

Nunca recebi formação para implementar o PECS. Que tipo de curso devo frequentar?
Se estiver interessado em aprender a implementar o PECS, então o nosso Curso de Nível 1 (Básico) de Picture Exchange Communication System (PECS, Sistema de Comunicação por Troca de Imagens) é o mais adequado. É um Curso de dois dias, com muita informação interessante apresentada de uma forma dinâmica. Em primeiro lugar, aprenderá a estabelecer um ambiente de aprendizagem eficaz para os seus alunos através da aprendizagem sobre a Abordagem da Pyramid à Educação. Em seguida, será feita uma descrição profunda de cada uma das seis fases do protocolo do PECS. Terá oportunidade de praticar/ simular as competências, fazer perguntas e visionar vídeos de estudantes em ação. Sairá do curso com todas as informações necessárias para começar a implementar o protocolo do PECS com os seus alunos.
Fiz a formação sobre PECS Nível 1 (Básico). Quero aprender mais sobre PECS. O que devo frequentar a seguir?
Se já participou na Formação sobre PECS Nível 1 (Básico) e está a utilizar o PECS há pelo menos três meses, então a opção perfeita é a continuação do PECS.O nosso workshop PECS Nível 2 (Avançado) 2 dias centra-se na análise de cada uma das seis fases do protocolo PECS. Os participantes são incentivados a fazer perguntas e os nossos consultores da Pyramid irão ajudá-lo a solucionar problemas específicos do seu aluno. Terá ainda oportunidade de praticar/ simular cada uma das fases. Também abordará “Incorporar o PECS ao Longo do Dia”, que descreve estratégias para implementar oportunidades comunicativas nas diversas atividades funcionais ao longo de todo o dia. Serão discutidas lições e conceitos de PECS Avançado, com especial incidência nas atividades de atributos e comentários. As atividades em grupo permitem tempo para planificar a implementação de todos os tópicos discutidos no seu próprio local de trabalho. Sairá deste curso cheio de novas ideias para criar oportunidades de comunicação!

Estou a usar muitos materiais bons no meu local de trabalho, incluindo sistemas de reforço, livros de comunicação e horários visuais. Não sei bem se consigo organizar tudo. Podem ajudar?
O nosso Guia do Professor para Organizar e Gerir a Sala de Aula é exatamente o que precisa.
Este é um workshop prático, cheio de sugestões e estratégias comprovadas para incorporar todos os elementos da Abordagem da Pyramid na sua agitada sala de aula. Forneceremos muitas fotografias de configurações de salas de aula exemplares. Também partilharemos os nossos truques para armazenar e organizar todos os seus materiais. Organizar a sala de aula de forma a promover a utilização de livros de comunicação, quadros de símbolos, horários visuais, cartões “Esperar”, cartões “Intervalo”, folhas de dados, etc., pode ser avassalador. Estamos aqui para ajudá-lo com essa tarefa!

Os meus alunos estão a conseguir fazer os pedidos, mas ainda têm problemas com outras competências de comunicação que dificultam grandemente os nossos passeios na comunidade, as oportunidades de inclusão e a vida quotidiana de sala de aula. Alguma sugestão?
Parece que precisa do nosso workshop Ensinar Competências Basilares de Comunicação. Esta conversa coloca ênfase no ensino das nove competências comunicativas essenciais, inclusive solicitar itens e atividades desejados, ajuda, intervalo e competências de aceitar/rejeitar. Também se discutem instruções simples, seguir horários, responder de forma adequada a "esperar" e aprender a lidar calmamente com as transições nas rotinas. Este workshop é relevante para alunos utilizadores de qualquer tipo de sistema de comunicação, incluindo os alunos que utilizam a fala, linguagem gestual, o PECS e/ou outros sistemas de comunicação aumentativos e alternativos.

Ultimamente tenho ouvido muitas pessoas a falarem sobre comportamento verbal. Gostaria de saber mais sobre este assunto e sobre ensino de comunicação em geral.
Parece-nos que vai achar muito interessante uma das nossas mais recentes palestras, Analisando e Aperfeiçoando a Comunicação. Os participantes irão tomar conhecimento sobre o livro de B. F. Skinner “Verbal Behavior” (VB) e como ele os pode ajudar a melhorar os programas de ensino de comunicação para crianças e adultos com diferentes perturbações da aprendizagem e do desenvolvimento. Os participantes aprenderão a identificar e ensinar comportamento verbal em salas de aula, em programas em casa e na comunidade. Skinner foi explícito ao dizer que este tipo de análise é útil, independentemente da modalidade de comunicação selecionada - discurso, gestos, imagens (incluindo PECS), leitura/ escrita ou outros sistemas aumentativos. O workshop descreve as funções de linguagem fundamentais de Skinner, cada uma definida em termos da sua relevância funcional. Para além disso, este workshop aborda de forma única como identificar operações verbais complexas, demonstrando como algumas mudanças, aparentemente subtis, na nossa estratégia de ensino podem resultar em diferenças significativas relativamente ao que os alunos aprendem. Também se descreve como uma compreensão da identificação destas funções verbais complexas pode conduzir a melhorias nas estratégias de ensino, independentemente da modalidade selecionada. O protocolo para o PECS (Frost e Bondy, 2002) é utilizado como um exemplo de uma sequência de ensino que pode ser analisada utilizando o comportamento verbal. O workshop analisa assuntos relacionados com a dificuldade de ensinar a comunicar sobre emoções e sentimentos e descreve algumas das questões centrais relacionadas com o autismo.

Este ano estou a trabalhar com alunos com Síndrome de Asperger. Vocês oferecem alguma formação para melhorar as minhas competências pedagógicas para alunos com Síndrome de Asperger?
Já constatou o quão eficaz é a Abordagem da Pyramid à Educação para os alunos com autismo e outras perturbaçõess relacionadas. Esta abordagem é igualmente eficaz para alunos com Síndrome de Asperger. Junte-se a nós na Abordagem da Pyramid ao Síndrome de Asperger para aprender maneiras de adaptar o modelo da Pyramid às necessidades desses alunos muito especiais. É dada especial atenção a estratégias práticas, pró-ativas nas áreas de comunicação, competências sociais e autogestão.

Estou a trabalhar com vários alunos com comportamentos desafiantes. Oferecem algum workshop que se concentre em estratégias de intervenção comportamental?
O nosso Guia para Gerir Comportamentos Desafiantes é o workshop perfeito para si. Esta formação de um dia centra-se na introdução de largo espectro da Análise Comportamental Aplicada (ABA) dentro do enquadramento da Abordagem da Pyramid à Educação. Através de atividades práticas e inspiradoras, aprenderá os passos necessários para criar um plano comportamental eficaz. Os participantes também vão aprender a medir, avaliar e manter a eficácia da intervenção comportamental. Saberá por que razão a criação de ambientes de aprendizagem eficazes é um elemento-chave na intervenção de gestão comportamental.

Preciso de ajuda na criação de um ambiente educativo para os meus alunos. Fico frustrado com as minhas aulas atuais, porque eles se sentem muito isolados e distantes uns dos outros. Apesar dos nossos melhores esforços, os nossos alunos ainda precisam de constante ajuda (prompting). Socorro!
Pensamos que se sentirá revigorado e animado para fazer algumas mudanças depois de participar no nosso workshop Educar Alunos com Autismo e Outras perturbações. Esta apresentação centra-se na conceção de ambientes educativos eficazes para alunos com autismo e outras perturbações de desenvolvimento utilizando a Abordagem da Pyramid à Educação. Os educadores aprenderão a criar aulas eficazes em vários cenários, usando uma ampla gama de estratégias de ensino. O modelo ajuda os educadores a organizar e priorizar as suas responsabilidades ao ensinar aos alunos competências funcionais essenciais, bem como competências comunicativas funcionais. A Abordagem da Pyramid coloca a tónica na criação de lições eficazes, que promovam a iniciação comunicativa por parte das crianças para assim ajudar a minimizar a sua dependência dos adultos.

Estamos a implementar um novo programa de educação especial e temos consciência do valor de uma formação adequada para todos os nossos funcionários. Que workshops são melhores para nós?
O Curso de 5 Dias sobre Abordagem da Pyramid à Educação é perfeito para vocês. Este workshop fornece informações detalhadas sobre todos os elementos de ambientes educativos eficazes, além de muitas oportunidades para praticarem as vossas novas capacidades e as aplicarem aos vossos próprios alunos. Os cinco dias de curso podem ser calendarizados consecutivamente ao longo de uma semana intensa ou intercalados ao longo do ano. A vossa equipa vai aprender a praticar e planificar atividades funcionais, sistemas de reforço, comunicação funcional, comportamentos contextualmente inapropriados e alternativas, generalização, criação de lições eficazes, estratégias de ensino específicas, minimização e correção de erros e recolha e análise de dados. Esta formação também inclui todo o conteúdo do nosso Curso Básico de PECS. As atividades incluem palestra, demonstração, análise de vídeo, atividades de escrita em grupo, planeamento da equipa e simulação.

Queremos o curso aprofundado sobre a Abordagem da Pyramid à Educação, mas os nossos alunos já têm um sistema de comunicação funcional. Mesmo assim precisamos de frequentar a parte sobre PECS?
Se os vossos alunos têm atualmente um sistema de comunicação funcional já a decorrer, podem optar por participar num curso de Abordagem da Pyramid à Educação de Três Dias. Este pacote é composto por todo o material incluído no Curso de Cinco Dias, sem os componentes PECS.

A Pyramid oferece consulta dentro de sala de aula, em casa e/ ou na comunidade?
Os consultores da Pyramid teriam todo o gosto em fornecer orientação a si, à sua equipa e/ ou ao aluno. Todos os nossos consultores têm grande conhecimento e experiência de trabalho com alunos com autismo e outras perturbações. Nós podemos ajudá-lo a transformar o seu conhecimento e ideias em competências funcionais.

 

Perguntas Frequentes sobre Implementação Geral do PECS

O que preciso preparar para cada aluno antes de iniciar o PECS?
O elemento mais importante para o sucesso do PECS é identificar um conjunto de reforços poderosos. A equipa deve identificar itens e/ ou atividades apreciados pelo aluno. Uma vez identificados estes reforços, os itens devem ser cuidadosamente monitorizados de modo a que a sua acessibilidade seja limitada. Se estes itens estiverem sempre disponíveis à vontade, o aluno possivelmente estará menos motivado para os pedir durante as aulas iniciais com o PECS. Para além disso, precisará de fazer as imagens antes da primeira sessão PECS. O conjunto de símbolos não é importante nas fases iniciais do PECS. Recomendamos que identifique um conjunto de símbolos que seja mais fácil para si reproduzir e manter. Se necessitar alterar o conjunto de símbolos, estas alterações devem ser feitas na Fase III.

Quantos técnicos preciso para implementar a Fase I do protocolo PECS?
Precisa de dois técnicos para iniciar a implementação da Fase I do protocolo de PECS com o seu aluno. Uma pessoa desempenhará o papel de parceiro comunicativo. À outra caberá o papel de técnico que dá a ajuda física. Os estudos indicam que as ajudas (prompts) físicas feitas por trás do aluno são mais eficazes e mais fáceis de  serem retiradas (fading) do que ajudas feitas em frente do aluno. Assim sendo, se não tiver dois técnicos disponíveis, deve esperar para começar a implementação.

A pessoa que eu tenho em mente para começar o PECS não consegue fazer correspondências. Devemos adiar a introdução do PECS até que domine estas competências?
As competências de correspondência / discriminação não são necessárias para começar o PECS. O PECS começa por ensinar as importantes competências de base da comunicação: "como comunicar?" e "como ser persistente na comunicação?" Começamos por utilizar imagens simples, durante as duas primeiras Fases do PECS. Durante as Fases iniciais, a imagem funciona como um bilhete que deve ser trocado com um parceiro comunicativo. Estes conceitos formam paralelo com o desenvolvimento típico de linguagem, quando as crianças começam a envolver-se em competências básicas de comunicação (por exemplo, atenção partilhada com gestos) antes do desenvolvimento das primeiras palavras. De maneira similar, ensinamos a arte da comunicação primeiro através do PECS e depois, na Fase III, focamo-nos na construção de vocabulário por imagens. Nesta Fase, são utilizadas estratégias pedagógicas específicas para ensinar a discriminação de imagens. Estas estratégias pedagógicas têm-se mostrado eficazes com crianças que anteriormente não eram capazes de dominar muitas lições de correspondência.

E a imitação, especialmente a imitação vocal?
A imitação vocal exige muitos pré-requisitos e pode ser uma tarefa muito difícil para muitos alunos com autismo e outras perturbações do desenvolvimento. Para além disso, desenvolver fala funcional pode demorar meses ou anos. Apesar dos nossos melhores esforços, alguns alunos podem nunca vir a ser capazes de utilizar a fala como forma primária de comunicação. Portanto, a equipa deve considerar as competências comunicativas funcionais como objetivo principal. No mínimo, a implementação do protocolo de PECS fornecerá ao seu aluno uma forma de dar a conhecer aos que o rodeiam os seus desejos, necessidades e comentários.

Na Pyramid, valorizamos as competências de imitação funcional. O aluno deve participar em diversas atividades imitativas que visem a motricidade grossa e fina e a imitação de sons/ sílabas/ palavras, ao longo de todas as atividades programadas durante o dia. As atividades devem ser adaptadas e baseadas no nível de capacidade de cada aluno. Estas lições devem acontecer fora das sessões de treino de comunicação funcional. As lições de imitação funcional, em conjunto com o PECS, serão muito benéficas para o seu aluno.

Cada aluno precisa do seu próprio dossiê de PECS? É apropriado usar quadros temáticos?
Uma vez que, na nossa perspetiva, o dossiê de  PECS é equivalente à voz do aluno, então cada aluno precisará de ter o seu próprio dossiê de comunicação. Os alunos com desenvolvimento típico não partilham as suas vozes, por isso não devemos pedir aos nossos alunos que partilhem os dossiês de comunicação. O aluno vai ser ensinado a levar o dossiê para todo o lado no início da Fase II. Depois disso, será sempre responsabilidade do aluno transportar o dossiê de um lado para outro.


Ao avançar para o treino de discriminação na Fase III, é adequado utilizar quadros temáticos. Estes quadros contêm vocabulário que é relevante para um local específico ou uma atividade. Por exemplo, em casa pode haver um quadro na cozinha, que inclui várias opções de comida. Na área de motricidade da escola, o quadro pode incluir imagens relevantes de atividades de motricidade grossa. Lembre-se que, se o item é um reforço para o aluno, a imagem do quadro deve ter uma cópia no dossiê de PECS. Uma estratégia útil dentro de casa poderá ser utilizar algumas  páginas do livro de comunicação como quadros temáticos que podem ser pendurados em diferentes partes da casa. Assim, quando estiver pronto para sair de casa, os quadros podem ser facilmente recolocados dentro do dossiê de comunicação.

 

Perguntas Frequentes sobre a Fase I

Quanto tempo deve durar uma sessão de treino?
A duração da sessão de treino dependerá de duas variáveis. A primeira variável tem a ver com o interesse do aluno. Pode fazer 1exercício ou 20, desde que o aluno continue motivado. Assim que o aluno deixe de iniciar (ou seja, de alcançar o item), o técnico pode decidir ou oferecer um reforço novo/ diferente ou encerrar a sessão. Lembre-se que deve terminar a sessão sempre com uma nota positiva, antes de surgirem sinais de saturação, tédio e/ou comportamentos contextualmente inapropriados (CCIs).

A segunda variável tem a ver com a disponibilidade do segundo técnico. São necessários dois técnicos para a implementação da Fase I do protocolo. Portanto, a duração da sessão pode às vezes depender das limitações de tempo do segundo técnico.

Quantas imagens são introduzidas na Fase I?
As competências de discriminação visual não são um pré-requisito para iniciar a Fase I, nem são um objectivo-alvo nesta fase. Durante a Fase I, a imagem atua como um bilhete que é trocado por um item desejado. Assim sendo, é apresentada apenas uma imagem de cada vez.

No entanto, o aluno pode pedir vários itens diferentes durante uma sessão. De cada vez que o reforço muda, a imagem correspondente é colocada diretamente em frente do aluno. Portanto, embora seja apresentada apenas uma imagem de cada vez, devemos ter várias imagens, para todos os reforços identificados.

Quantos ambientes devemos considerar para implementar o PECS?
O PECS deve ser implementado em todos os ambientes desde o início da fase I. As trocas iniciais normalmente ocorrem num ambiente estruturado, quando o parceiro comunicativo, o técnico que dá a ajuda física e o aluno estão juntos. Os técnicos devem estruturar as oportunidades de comunicação na sala de aula, no recreio, no café, em casa, na comunidade, etc. Qualquer lugar onde um aluno falante use a voz para comunicar é uma área-alvo para a implementação do PECS.

Estamos a trabalhar na Fase I há já algum tempo e a criança não está a trocar a imagem de forma independente. Qual poderá ser o problema?
Para auxiliar a aquisição de competências da Fase I, pode necessitar de abordar as seguintes áreas:

Avalie os itens que está a usar. Os itens/ atividades são reforços poderosos do ponto de vista do aluno? Realize avaliações frequentes de preferência. Além disso, certifique-se que monta o cenário de forma a que os reforços não estejam "em liberdade" ao longo do dia. Os reforços devem ser colocados em caixas ou em prateleiras altas, por isso, se o aluno quiser aceder a eles, terá de fazer um pedido.

 Espera até que a criança inicie (ou seja, tente alcançar o objeto) ANTES de dar ajuda para a troca? A Fase I visa a iniciação do aluno, por isso a tentativa de alcançar deve acontecer antes de os técnicos intervirem. Se o aluno não está a tentar alcançar o objeto ou a imagem, pode ser uma indicação de que já não está interessado no reforço. Pode ser um bom momento para fazer uma reavaliação breve de reforços dentro da mesma lição.

Tem vindo a utilizar dois técnicos para ensinar a troca? Deve haver dois técnicos para ensinar a Fase I. Não há maneira de ensinar a Fase I de iniciação das competências com um só técnico.

Note que alguns alunos podem demonstrar uma curva mais lenta de aprendizagem. Se o aluno tende a aprender todas as competências num ritmo mais lento, então é razoável supor que a aquisição das competências da Fase I também levará mais algum tempo.


Perguntas Frequentes sobre Fase II

Quantas imagens são apresentadas de cada vez na Fase II?
A discriminação não é um requisito para a Fase II. Por conseguinte, apenas uma imagem é apresentada de cada vez. A imagem deve ser colocada na capa do dossiê, uma vez que o dossiê de comunicação é introduzido no início desta fase.

Não quero que meus alunos se levantem da cadeira durante o tempo letivo. No entanto, percebo que a persistência é uma importante competência a ensinar. Como posso conciliar estes aspetos?
Ensinar distância e persistência vai ser imperativo para que os nossos alunos vejam  o PECS como um meio de comunicação funcional. Eles precisam aprender que podem comunicar com todas  as pessoas, em todos os ambientes, mesmo que o parceiro comunicativo não esteja por perto. Portanto, deve identificar momentos durante o dia em que a movimentação é apropriada. Isso pode acontecer durante os momentos naturais de movimentação, como educação física, recreio, etc. Para além da movimentação dentro dos espaços estruturados de sala de aula, pode ainda ensinar os seus alunos a conseguirem atenção de outras maneiras. Muitos dos nossos alunos aprendem a levantar a mão para chamar a atenção do professor dentro da sala de aula.

E os alunos com dificuldades de mobilidade? Como lhes posso ensinar persistência com o PECS?
Para os nossos alunos que têm problemas de mobilidade, incluindo aqueles que estão em cadeiras de rodas, não podemos esperar que andem/ percorram longas distâncias. Em vez disso, ensiná-los-emos a usar um mecanismo sonoro (por exemplo, talking photo frame, Big Mac Switch, campainha, etc.). O técnico que dá a ajuda física ensinará o aluno a pressionar o mecanismo sonoro, que está programado com uma expressão genérica, como: "Venha aqui, por favor." Esta é a indicação para o parceiro comunicativo se aproximar do aluno. A partir daqui, o aluno trocará a imagem pelo reforço. O parceiro comunicativo deve aumentar lentamente a duração de tempo antes de se disponibilizar a receber a mensagem do aluno. O mecanismo sonoro e o dossiê de comunicação devem localizar-se permanentemente numa área que seja facilmente acessível (por exemplo, o dossiê e o mecanismo afixados na cadeira de rodas).


Perguntas Frequentes sobre a Fase III

Quando deve começar o treino de discriminação na Fase III?
Assim que o aluno demonstrar distância e persistência nas interações comunicativas, deve introduzir  a Fase IIIA – Competências de Discriminação Visual. Durante as sessões estruturadas de treino, o aluno começará a trabalhar a discriminação entre um item preferido e não-preferido. Durante outros momentos ao longo do dia, o aluno deve continuar a generalizar as competências da Fase II.


O meu aluno está a ter problemas com a discriminação visual na Fase IIIA. Existem alternativas?
Antes de considerar o uso de estratégias alternativas, a equipa deve avaliar os procedimentos de treino que foram usados para ensinar a Fase IIIA.

Se a Fase III-A (o primeiro nível de Treino de Discriminação) foi implementada corretamente e não tem sido documentado progresso, então deve explorar estratégias alternativas. Qualquer alternativa que utilize envolverá a alteração de alguma parte da lição (por exemplo, como apresentamos as escolhas). Estas mudanças, muitas vezes, acontecem sob a forma de ajudas (prompts) que inserimos na lição para ajudar o aluno a acertar. Logo que constatemos sucesso, essas ajudas devem ser gradualmente retiradas (fading) até à sua eliminação. Consulte o pacote distribuído no Workshop de Dois Dias ou o Manual de Treino PECS para recordar algumas Alternativas de Treino de Discriminação. Por favor, visite o website dos nossos produtos em www.pecs.org.uk/shop para ver os nossos novos módulos acerca de Estratégias Alternativas de Discriminação.


Quando se deve introduzir novo vocabulário?
Pode adicionar-se vocabulário novo em qualquer fase. Lembre-se: o novo vocabulário é escolhido com base nas preferências/ nos reforços do seu aluno. Com as imagens colocadas na capa do dossiê, o técnico deve realizar uma verificação de correspondência para se assegurar de que o aluno compreende a imagem.

 

Perguntas frequentes sobre a Fase IV

É correto que o meu aluno coloque a imagem do reforço na tira de frase antes de colocar a imagem "Eu quero"?
Durante o treino ativo das competências da Fase IV, o aluno aprendeu a, primeiro, colocar o introdutor da frase ("Eu quero") na tira de frase e, em seguida, colocar a imagem do reforço na tira. Depois de dominada a Fase IV, o aluno pode começar a construir a tira de frase autonomamente de novas maneiras. O aluno pode colocar ambas as imagens na tira ao mesmo tempo. Ou pode também colocar a imagem do reforço na tira e só depois o introdutor de frase. Estes tipos de construções de tiras de frase estão corretos, desde que a tira final trocada apareça na ordem correta. Se acontecerem erros na sequência, lembre-se de utilizar o Procedimento de Retrocesso para Correção de Erros.

Quem desconstrói a tira de frase e/ ou recoloca as imagens dentro do dossiê?
No início, o parceiro comunicativo deve remover as imagens da tira de frase e recolocar quer a tira de frase quer as imagens em cima/ dentro do dossiê. Exigir que os utilizadores do PECS o façam torna a resposta comunicativa mais lenta, sem necessidade. Contudo, algumas crianças insistem em serem elas próprias a recolocarem as imagens. Isto está correto.

À medida que os alunos se vão integrando nas atividades da comunidade, eles precisarão de aprender a arrumar a tira de frase  junto do “parceiro comunicativo leigo” para que as imagens e as tiras de frase não se percam. Quando ensinar esta competência, recomendamos o uso de ajudas físicas em detrimento de ajudas verbais (ou seja, "Arruma as tuas imagens."). As ajudas físicas ou gestos que adicionar nesta lição serão muito mais fáceis de serem retiradas (fading) do que as ajudas  verbais e promoverão a sua independência o mais rápido possível.

O meu aluno faz vocalizações inconsistentes ao construir a tira de frase ou enquanto estou a "lê-la" para ele. Eu quero que ele vocalize o tempo TODO! Como posso encorajar a fala sem a exigir?
Durante o treino da Fase IV e em diante, o instrutor deve fazer uma pausa durante a leitura da tira de frase. Este momento de pausa é chamado atraso temporal constante e dá ao aluno a oportunidade de vocalizar. Se o aluno mostra aproximações vocais e/ ou palavras claramente articuladas, “fazemos uma festa”! Queremos reforçar diferencialmente quaisquer tentativas de falar, dando mais reforço ou mais tempo com o item. A mensagem ao aluno deve ser que falar é MUITO BOM, mas que o seu sistema de comunicação funcional continuará a ser uma forma efetiva de comunicar naqueles dias em que as palavras não são tão fáceis de produzir.


Quando devo introduzir os atributos?
Os atributos devem ser introduzidos imediatamente a seguir ao domínio da Fase IV. Antes de introduzir lições específicas, a equipa deve identificar os conceitos dos atributos que são importantes e significativos do ponto de vista do aluno. Exemplos podem ser conceitos de cor, tamanho e/ ou forma. Lembre-se que o aluno não precisa de demonstrar compreensão recetiva do conceito antes de o usar expressivamente.


Perguntas Frequentes sobre a Fase V

Tenho um aluno que é tão adepto de pedidos espontâneos que eu não consigo perguntar suficientemente rápido "o que queres?". Como posso, assim, ensinar a competência de responder a esta pergunta?
Esta é uma ocorrência comum e tentaremos mudar um pouco o ambiente de aprendizagem para ensinar esta competência. Nós recomendamos que as imagens relacionadas com a lição estejam colocadas na capa do dossiê de comunicação nas sessões de treino iniciais, o que, realmente, pode promover o tipo de comportamento que descreve. Tente colocar todas as imagens dentro do dossiê de comunicação, incluindo a imagem "Eu quero". Isso criará um certo atraso até às imagens e pode-lhe permitir fazer a pergunta e dar a estratégia de ajuda atrasada. Certifique-se que dará ao aluno oportunidades para pedir espontaneamente também durante todo o dia!


Perguntas Frequentes sobre a Fase VI

Será que todos os alunos conseguirão dominar os conceitos da Fase VI?
A consequência de fazer comentários é o reforço social, portanto a Fase VI pode ser uma competência difícil para alguns dos nossos alunos. Começaremos por ensinar a comentar partindo do princípio de que é mais motivador e/ ou significativo do ponto de vista do aluno. Introdutores de frase comuns podem ser: Eu ouço, Eu vejo, Eu cheiro, etc. Embora nem todos os alunos obtenham sucesso nesta fase, a equipa, ainda assim, proporcionou um meio funcional de comunicação para solicitar itens e/ ou atividades importantes.


O meu aluno tem demonstrado sucesso nos comentários de resposta durante as atividades estruturadas. No entanto, não está a comentar espontaneamente. Têm algum conselho?
Os comentários espontâneos podem ser difíceis para muitos dos nossos alunos. É mais provável que eles comentem espontaneamente sobre ocorrências interessantes ou novas no meio circundante. Podemos tentar suscitar um comentário espontâneo eliminando lentamente a pergunta do comentário. Em vez de fazer a pergunta completa, "O que tu vês/ ouves/ cheiras/ etc.?", o parceiro comunicativo pode perguntar: "O que tu?" e depois perguntar “O que?”. O parceiro comunicativo pode sistematicamente eliminar toda a pergunta como uma forma de suscitar o comentário espontâneo. Note que nem todos os nossos alunos irão demonstrar sucesso nos comentários espontâneos. Celebre as competências que o aluno alcançou, é maravilhoso que o aluno tenha dominado os pedidos espontâneos e de resposta, bem como os comentários de resposta!


Perguntas Frequentes sobre o Website

Para que serve o ícone RSS na vossa homepage?
A Pyramid Educational Consultants gostaria de anunciar que, com o objetivo de acompanhar a tecnologia atual, temos o prazer de oferecer um Really Simple Syndication news feed, também conhecido como Rich Site Summary. Clique aqui para ler mais sobre feeds RSS. Fornecemos este serviço para que os nossos clientes possam obter notícias sobre a Pyramid ao minuto, a partir dos seus dispositivos móveis, como telemóveis, PDAs, etc. Para mais informações, consulte o fabricante do seu dispositivo móvel. Para o software necessário para ler um feed RSS (se não tiver Internet Explorer 7, que o fará automaticamente), recomendamos o RSS Compendium.

 Por que razão alguns elementos da vossa webpage não estão a aparecer corretamente, por exemplo vídeos ou outros elementos de navegação?
O problema pode dever-se ao facto de que algumas secções da nossa webpage terem sido codificadas utilizando o Adobe Flash. Você precisa da última versão do Flash que, no momento da redação deste texto, é a versão 9.0. Pode fazer o download gratuitamente através do website do Adobe. O Adobe Flash é compatível com a maioria dos Internet Browsers, por exemplo Internet Explorer e Mozzilla Firefox.


Com que frequência atualizam o website?
O website é normalmente atualizado todas as semanas. As notícias e as atualizações são publicadas à medida que surgem. Cerca de uma vez por semana, atualizamos a nossa página principal. Tentamos mantê-la o mais atualizada possível, mas às vezes há semanas em que surgem menos notícias.

O que recomendam para visualizar a vossa webpage?
Nós recomendamos o Microsoft Windows XP ou superior, com Microsoft Internet Explorer ou Mozzilla Firefox.

Como posso entrar em contato com vocês caso tenha alguma questão? Como posso colocar perguntas à Pyramid?
Se tiver uma pergunta específica sobre PECS/ Pyramid, use, por favor, o link de Contacto de Portugal localizado nesta página. Também pode enviar-nos diretamente um email para portugal@pecs.com. Tentaremos responder à sua questão o mais rápido possível, mas compreenda, por favor, que pode ter de aguardar alguns dias úteis. Se tiver perguntas específicas sobre organização de/participação em workshops ou quiser obter mais informações sobre consulta, não hesite em contactar-nos diretamente através do telefone +351 910 81 22 81.

.
Outras Perguntas Frequentes

Qual é o vosso endereço?
O endereço da Pyramid Educational Portugal, Lda. é o seguinte: Pyramid Educational Consultants Portugal, Lda
Apartado 25
EC Condeixa
3150-999 Condeixa-a-Nova
Portugal
Email: portugal@pecs.com
Telef.: + 351 910 81 22 81

Para os endereços das nossas empresas noutras partes do mundo, clique aqui.